Receita do Coritiba volta ao patamar de 2010

A queda para a série B levou o CORITIBA a apresentar redução de 57% na Receita Bruta, que ficou em R$ 44 Milhões em 2019, nível semelhante ao apresentado em 2010, momento que antecedeu a última fase de destaque técnico e financeiro do Clube.

O principal fator de redução das receitas foi a queda de 74% nos direitos de transmissão, de R$ 59 Milhões para R$ 15 milhões, além da queda de 75% nas receitas com vendas de atletas, que ficaram em apenas R$ 3 milhões, o menor patamar entre os principais clubes do Futebol Brasileiro.

Como a Brutal queda das receitas foi acompanhada de uma redução de apenas 10% nas despesas e custos operacionais, o resultado final foi o maior déficit da história do clube, de R$ 50,5 milhões. E como consequência, o Endividamento líquido subiu 19%, para R$ 287 milhões, equivalente a 7x as receitas recorrentes de 2019, um dos piores índices do mercado, mas que será amenizado com o acesso para a série A.

O Coritiba precisa urgentemente de um plano de estabilização / redução de sua dívida, sob o risco de transformar o insucesso financeiro dos últimos anos em um insucesso definitivo dentro de campo, dada a redução de sua capacidade de investimento.

Acesse o relatório completo:

https://www.pluriconsultoria.com.br/wp-content/uploads/2020/07/Análise-Financeira-Coritiba-2019.pdf

Assine a nossa newsletter