As Finanças do Vasco em 2019

A queda na receita com venda de atletas (-87%) foi decisiva para a redução das receitas totais (-17%), a despeito da elevação das receitas recorrentes (+29%) resultante de um maior engajamento do torcedor. Essa combinação pulverizou o superávit de 2018 e voltou a pressionar o elevadíssimo endividamento, que já representa 3x as receitas. A lição que fica não é nenhuma novidade: clubes endividados não conseguem sair do pântano financeiro apenas com austeridade, se não houver crescimento da receita. Equivale a enxugar gelo.

Acesse o relatório completo:

https://www.pluriconsultoria.com.br/wp-content/uploads/2020/05/Análise-Financeira-Vasco-2019.pdf

Assine a nossa newsletter