Galo projeta receita recorde e R$ 16 milhões para reforços em 2016

Os cofres atleticanos devem ganhar um reforço e tanto no ano que vem. No próximo dia 30 de novembro, os conselheiros do Atlético-MG irão se reunir para aprovar o orçamento de 2016, que promete render ao clube a maior renda anual de sua história: R$ 253 milhões.

A quantia supera os valores recorde atingidos pelo Galo em 2013, quando conquistou a Taça Libertadores e arrecadou R$ 227,8 milhões. Com uma receita tão grande para 2016, já estão reservados R$ 16 milhões para contratações de reforços, visando a próxima temporada.

Receitas em 2016 – No próximo ano, o Galo continuará tendo as cotas de televisão como a sua maior fonte de arrecadação. Segundo o orçamento previsto, o clube receberá um total de R$ 100 milhões com sua participação no Campeonato Mineiro, Taça Libertadores, Copa do Brasil, Copa Sul-Minas-Rio e Campeonato Brasileiro. Vale lembrar que este montante pode ser ainda maior, caso o Atlético-MG avance nas disputas eliminatórias e acabe até vencendo a Libertadores, garantindo vaga no Mundial de Clubes ao final do ano.

No que se refere a receita com as bilheterias, o clube mineiro projeta dez jogos no Mineirão e 24 no Independência, garantindo uma renda R$ 50 milhões, com a arrecadação de seu programa de sócio já incluída. O orçamento ainda destaca um aporte financeiro com a negociação de jogadores e patrocínios que renderiam ao Atlético-MG cerca de R$ 60 milhões e R$ 22 milhões, respectivamente.

Despesas – Juntamente com o alto faturamento do ano que vem, o Galo terá despesas altas em 2016. Segundo o relatório orçamentário, o clube destinará R$ 100 milhões para o pagamento de dívidas, empréstimo e impostos. Fora isso, o Atlético-MG ainda precisará pagar uma folha salarial anual, que reúne jogadores, comissão técnica e categorias de base, calculada em R$ 80,3 milhões.

Por: Gustavo Aleixo, Terra/Esportes

Assine a nossa newsletter