Parte 4 – Raio X do Futebol no Nordeste

O futebol do Nordeste reproduz os tantos problemas que a estrutura do calendário do brasileiro apresenta. Enquanto os grandes clubes nordestinos disputam alguma das divisões do Campeonato Brasileiro e ainda contam com a Copa do Nordeste, que voltou de forma positiva para a futebol na região, os clubes pequenos mal conseguem manter suas atividades por conta da baixa quantidade de jogos. Se disputar muitos jogos pode ser prejudicial para os grandes, para os clubes menores a falta deles aliada à curta duração das poucas divisões estaduais torna inviável qualquer projeto de desenvolvimento a longo prazo.

Alguns números alarmantes corroboram estes problemas levantados. Apenas 41% das cidades nordestinas contaram com clubes de futebol disputando competições profissionais em 2019. Na Bahia apenas 2,6% das cidades contaram com algumas dessas equipes, ou seja, mais de 67% da população baiana vive em cidades que não contaram com futebol profissional no ano passado. No Piauí e em Sergipe, a taxa de utilização do calendário útil do futebol foi inferior a 20%. Significa que aqueles poucos clubes, que conseguiram atuar, jogaram, em média, apenas 2 meses do ano.

Se o Raio X do futebol do Nordeste nos mostra os tantos problemas da estrutura do futebol no Brasil, ele também nos revela a quantidade de oportunidades que há na região.

Acesse o relatório completo:

https://www.pluriconsultoria.com.br/wp-content/uploads/2020/05/Raio-X-do-Futebol-no-Nordeste-PLURI-Consultoria.pdf

Assine a nossa newsletter